sábado, 16 de março de 2013

Habemus Papam

Não, antes de qualquer coisa, esta não será uma crônica sobre religião. Como sempre, estou aqui para citar fatos do cotidiano de Pindaíba do Norte, fazer um paralelo com o mundo e (claro!) criticar. Claro que o objetivo do blog e muito menos meu é somente apontar erros, ou mesmo destituir o Prefeito e legisladores de nossa pacata cidade, mas sim dar visibilidade ao que precisa e com o auxílio de você leitor tentar mudar aquilo que necessita ser corrigido. Aliás, essa é a missão de todos nós...
Sem mais poréns, o texto de hoje trata sobre a eleição do Papa Francisco, sucessor de Bento XVI. Este, renunciou devido às pressões incidentes sobre seu cargo. Sendo representante maior da Igreja Católica e chefe de Estado da Cidade do Vaticano (menor, porém mais rica que Pindaíba do Norte) não soube administrar denúncias de clérigos pedófilos, homossexuais e corruptos. Além do mais, o Banco do Vaticano vinha tendo seus cofres, abastecidos pelo dízimo e por instituições filantrópicas, esvaziadas pela Cúria Romana (uma espécie de Ministérios Papais, chefiadas por Cardeais e Bispos). Se fosse no Brasil, era só o Papa dizer que "não sabia de nada" e estaria tudo na mais perfeita ordem.
Como citado, casos de corrupção não acontecem só aqui (pasmem!). O problema é que acontecem com muito mais incidência no nosso país. Outra diferença é que em Pindaíba do Norte e no Brasil, corruptos passam impunes à repúdia social. Voltando aos exemplos de religiosos; vê-se que na Itália, ou melhor, na Cidade do Vaticano, que é um país independente, até quem não era culpado teve de renunciar. Não porque se sentia omisso, mas por saber que não possuía forças para combater esse mal e preferiu deixar lugar à outro "salvador da pátria".
Claro que no Brasil existem casos de católicos que não cumprem suas devidas funções, mas aqui é mais difícil haver fraudes monetárias, já que a Igreja Católica brasileira não movimenta grandes montantes. Porém a corrupção não é restrita a uma só religião. Assistimos todos os dias a canais comandados por Pastores protestantes, que fazem fortunas com dízimos de miseráveis. Donos de inúmeras terras, imóveis e, como já dito, redes de comunicação, esses controlam verdadeiros impérios para expandir sua crença, pagos com dinheiro dos fiéis. Muitos dominam toda a programação da madrugada fazendo pregações - e pergunte a qualquer publicitário, 30 segundos em qualquer horário de televisão é caro!
Não é novidade pra ninguém sobre a corrupção nas três instâncias federais. Mas nos últimos dias, foi indicado para a presidência da Comissão dos Direitos Humanos, Marco Feliciano, que é pastor, mas antes disso, racista e homofóbico. Sabe-se que o governo é cabide de emprego aos partidos aliados, mas custava colocar um cara desses em qualquer outra comissão?
Mas vale lembrar que toda a corrupção que está presente lá no topo, começa pela contribuição ou ao menos omissão de cada um de nós. Dia desses, conversando com um publicitário da capital federal, ele me disse que aqui, em Pindaíba, a única coisa que dá futuro é indicação. Não adianta o melhor dos currículos, se seu concorrente à vaga tiver um "padrinho" dentro da empresa. Disse-me ainda que a mentalidade dos Administradores daqui é MUITO inferior à dos paulistanos, por exemplo e que, por isso, as empresas de lá são sempre maiores que as daqui.
Por isso, antes de criticar os poderosos de Pindaíba e do governo federal, porque não façamos como Francisco, que assumiu a responsabilidade e começou defendendo ferrenhamente seus princípios éticos e morais para, assim servir de exemplo e cobrar dos demais?