sábado, 2 de agosto de 2014

AMAR, MAS AMAR SEM TRÉGUAS E SEM CONDIÇÕES

Certa vez, disse um poeta que o coração tem razões que a própria razão desconhece. Outra vez, Drummond disse que é preciso se abobalhar na lucidez do amor. Já outros juram que o amor e o ódio andam lado a lado. Outros tantos garantem que a paixão atiça mas atrapalha muito o amor. Então, qual a receita de felicidade? Será que existe uma receita pronta, como receita de bolo? Provavelmente não. De repente, isso é como a vida comum de qualquer pessoa, posto que somos produto do meio. Somos aquilo que a vida nos deu, nos tomou e somos aquilo que fizeram por nós e com cada um de nós. Vale lembrar, nada se faz com a gente se não permitimos. Assim, somos o reflexo daquilo que buscamos em cada minuto de nossas vidas. O caminho para a felicidade não existe, pois a felicidade não é algo a ser alcançado; é algo para ser vivido, todos os dias, todas as horas, todos os minutos, todos os segundos, a cada piscar de olho. A felicidade é um estado, portanto, não deve ser a busca, mas a trajetória. O percorrer dessa trajetória pode fazer toda a diferença, pois um caminho mal percorrido pode comprometer todo o resto da viagem. Às vezes, não compreendemos as atitudes das pessoas, ficamos enraivecidos, irados, chateados, decepcionados, maltratados, magoados. É preciso desarmar o coração, pois cada pessoa é o produto daquilo que a vida lhe deu, das escolhas que nem sempre fez, das oportunidades que não quis ou não soube aproveitar, das ilusões que lhe trouxe essa carruagem chamada vida. Enfim, cada pessoa chega a esse mundo trazendo algo muito seu, muito próprio, e, ao partir, levará muitas cosias das quais gostaria de abrir mão. Entretanto, muita gente partirá deste mundo com a alma em pranto, pois a oportunidade de ser feliz é como um cavalo arriado: engana, engana, engana e, de repente, passa uma única vez. Se deixamos ir embora... Então, que cada pessoa saiba montar seu cavalo, não em direção à felicidade, mas com a felicidade dentro de si, pois a felicidade não é uma busca, mas um sentimento.