terça-feira, 28 de julho de 2015

154 Sonetos de William Shakespeare - Soneto nº42

Por que a tens, não é este todo o meu pesar, 
Mesmo que eu possa dizer quanto a amei; 
Por ela ter a ti, este é todo o meu lamento, 
Um amor ainda mais perdido para mim. 
Amantes impuros, eu vos perdoo: – 
Tu a amas, mesmo sabendo que eu a amo; 
E mesmo que ela continue a abusar de mim, 
Fazendo meu amigo sofrer por ela e por mim. 
Se eu te perder, para o meu amor será um ganho, 
E, ao perdê-la, meu amigo já não poderá tê-la; 
Ao se unirem, perco os dois, 
E ambos me farão arrastar esta cruz: 
Mas, eis a alegria: meu amigo e eu somos um; 
Doce engano! Então ela ama só a mim.