segunda-feira, 7 de setembro de 2015

154 Sonetos de William Shakespeare - Soneto nº71

Não chores mais por mim depois que eu morrer, 
Ao ouvir o sombrio e escuro sino 
Anunciando a todos que parti 
Deste mundo vil, habitado por vermes ainda mais vis: 
Não, se leres este verso, não lembres 
Da mão que o escreveu; pois te amo tanto, 
Que prefiro ser esquecido de teus doces pensamentos, 
Se lembrar de mim te causar algum pranto. 
Ah, se (eu digo) leres este verso 
Quando eu já estiver misturado à terra, 
Não ensaies repetir meu pobre nome; 
Mas deixa teu amor apodrecer com minha vida: 
A menos que o mundo pondere e perscrute tua dor, 
E despreze a ti, por mim, após minha partida.