quinta-feira, 8 de outubro de 2015

154 Sonetos de William Shakespeare - Soneto nº94

Aqueles que têm o poder de ferir e nada farão, 
Que não fazem o que demonstram, 
Que ao impelir outros, são como pedra, 
Imóveis, frios, e imunes à tentação – 
E por direito caem nas graças divinas, 
E herdam da natureza as riquezas de seu custo; 
Eles são os senhores e donos de si mesmos, 
Os outros, apenas os servos de sua excelência. 
A flor do verão é doce para a estação, 
Embora para si mesma apenas viva e feneça; 
Mas se essa flor for ferida em sua essência, 
A erva daninha mais singela arrancará a sua honra; 
Pois o mais doce se torna amargo por seus feitos; 
Lírios mais fétidos do que as ervas daninhas.