sexta-feira, 30 de outubro de 2015

154 Sonetos de William Shakespeare - Soneto nº110

Ah, é bem verdade, fui a toda parte 
E .z de mim um tolo perante todos, 
Gorei os pensamentos, vendi barato o mais caro, 
Renovei velhas ofensas às minhas afeições. 
Certo é que encarei a verdade 
De soslaio e a estranhei; mas, por tudo que foi dito, 
Esses erros deram novo alento ao meu coração, 
E as piores tentativas provaram que és meu amor. 
Agora tudo está feito, tenha o que não tiver fim; 
Meu apetite nunca mais eu moerei 
Para obter novas provas, para testar um velho amigo, 
Um deus do amor a quem sirvo. 
Então, receba a mim, dando-me o melhor dos céus, 
Mesmo para o teu mais puro e adorado coração.