quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

154 Sonetos de William Shakespeare - Soneto nº143

Vê, como a dona de casa que cuidadosa corre 
Para agarrar uma ave que lhe escapou, 
Põe de lado o seu rebento, e cuida rápido 
De pegar aquilo que ela quer reter; 
Enquanto seu filho preterido a mantém atenta, 
Ele chora para atraí-la, chamando a si o seu cuidado 
Para que busque o que lhe fugiu das mãos, 
Deixando de lado a infelicidade de seu pobre .lho; 
Então, persegue o que foge de ti, 
Enquanto eu, teu bebê, sigo-te logo atrás; 
Mas, se ainda tens esperança, volta-te para mim 
E faze o papel de mãe – beija-me e sê gentil. 
Então, rezarei para que tenhas teu Will, 
Se te voltares e ouvires o meu pranto.